THE DEEPEST GRAY EN PORTUGUÉS

All That Remains

Podia o sangue não ser tão doce ou fluir bastante para segurar
Duzentas e nove subida de amanhã e eu somos sozinhos novamente
Por favor não este caminho tão doce no meu tounge ele consome-se
Uma promessa vazia enche as minhas veias de mentiras

A cor cinzenta mais profunda para sempre vive dentro de mim
Mas não temo já que vivi esta agonia

E o tempo marca lentamente para a frente em direção ao intervalo do dia
Cinco sete nove chegada mais combustível de desordem
Mas esteja ainda o meu tounge já que eu sabem não o que digo
A minha vida é vivida na escuridade e aqui permanecerei

E portanto a noite dura em
E assim a minha paciência thins
Agora ando por este fogo
Purificar os pecados

E portanto a noite dura em e assim a minha paciência thins
À minha alvorada de olhos na causa de horror sou sozinho novamente.
fuente: musica.com

All That Remains

Ficha de la Canción

Título:
THE DEEPEST GRAY (EN PORTUGUÉS)

Grupo/Cantante:
ALL THAT REMAINS

Letra añadida por:
gabrielcandiavela

Letra escrita por:
MATTHEW DEIS,MICHAEL BARTLETT,MICHAEL MARTIN,OLIVER HERBERT,PHILIP LABONTE

Letra publicada por:
THE BICYCLE MUSIC COMPANY

Licencia:
LyricFind

Valora la calidad de la letra

Compartir Letra

compartir en facebook
compartir en google plus
compartir en twitter

Enviar la letra 'The Deepest Gray en portugués' por email

Imprimir la letra 'The Deepest Gray en portugués' de All That Remains

ir a arriba