THE SERPENTINE OFFERING EN PORTUGUÉS

Dimmu Borgir

Letra de la canción

A Oferenda Injusta

Minha descendência é a história de cada homem
Eu sou o ódio, a escuridão e o desespero
Minha descendência é a história de cada homem
Eu sou o ódio, a escuridão e o desespero

Evocado e entretido por séculos
Uma sombria ira - dormente ainda

A ferocidade impregnada em toda parte
Esperando ser libertada finalmente

Receba minha oferta
Filhos e filhas, bastardos
Compartilhem meu sacrifício...
Compartilhem meu sacrifício!

Minha descendência é a história de cada homem
Eu sou o ódio, a escuridão e o desespero
Minha descendência é a história de cada homem
Eu sou o ódio, a escuridão e o desespero

Reconcilie-se, não com medo da serpente
Mas a abrace, como se fosse a si mesmo
Injete este veneno nas suas veias
E replante a semente que dá crescimento
Ainda envoltos em mistério
Até você surgir além da percepção
Um véu de ignorância está em movimento
Continuamente através das gerações

Um véu de ignorância está se movendo
Continuamente através das gerações
Deixe-me ser o que te livra do engano
E entre em acordo perfeito com as leis da natureza

A cobra tenta ser reconhecida
Mas a cobra é razoável
O que é pior que não saber?
Viver ou desaparecer?

A ferocidade impregnada em toda parte
Esperando ser liberta finalmente

Receba minha contribuição
Filhos e filhas, bastardos
Compartilhem meu sacrifício...
Compartilhem meu sacrifício!
fuente: musica.com

Letra añadida por: gabrielcandiavela (#8.887)

Dimmu Borgir
Valora la calidad de la letra

Compartir 'The Serpentine Offering en portugués'

compartir en facebook
compartir en google plus
compartir en twitter
Enviar letra a un mail
Imprimir letra
ir a arriba