DJ Caique

Renegado

DJ Caique

LETRA

Alinear a la izquierdaAlinear al centroLetra más grandeLetra más pequeñaVer video

Coligações Expressivas
Projota, Rashid, Dj Caique
Os monstros tão a solta vagabundo

Muitas vezes eu me sinto só e indefeso
Feito um animal preso, fazendo peso e só
Mais um mano e só, em meio a massa
Sendo observado, com ódio e medo
Como se eu não fosse da mesma raça
O]o calor e a fumaça arrasa, com a cabeça de quem desde os 10 de idade é o homem da casa
E sua vontade é nula, me vejo no alto de uma ponte
Com o diabo sussurrando: pula, pula
A chuva fina sob o meu capuz
Diz que devo ceder, a escuridão me seduz
A solidão me conduz por entre as faixas
Putas e senhoras com folhetos que falam de jesus
Vão caixas e mais caixas de caneta não
Adiantariam e nem curariam minha depressão
Vi com os papelão e o sofrimento alheio
Me pergunto o que eu tenho feito de certo pra não tá ai no meio
No ceio da nação, tudo que eu toco vira uma rocha fria
Eu tenho essa sensação também
Aprendi a carregar meu próprio peso
Pra não ser um peso a mais nas costas de ninguém
Toda multidão ao meu redor
Cidade vazia é fascinante
Como pra um monstro como eu, uma jaula é muito mias aconchegante

Pouca gente me olha, acho que por ter medo de olhar
Ou olha de rabo de olho pra me vigiar
Nem olha, nem nota, que eu tô lá
Ou custa a perceber, que bem pior que não olhar é olhar e nem ver
Eu sinto muito se, eu falo muito e
Fico calado quando eu tô bolado
Com neguin fardado, cabelo raspado
Me cobrando explicação, sem ter explicado porque fui parado
E eles vem doido procurando treta
Cai do cavalo quando encontra na mochila caderno e caneta
Ah se ele abrisse o caderninho de rima lá
Dr. Dolittle aqui ia fazer o porco chorar
Um portador do vírus da pobreza
Um vingador da carne que os desgraçado põe na mesa
Não to defendendo o sangue da galinha
Eu to cobrando porque tem na mesa deles e não tem na minha
E olha que na minha até tem as vez
Mas vi minha véia comendo pouquinho pra sobrar pros outros três
E decidi que minha luta é por ela
E por cada tia agonizando a vida nas favela
E se a gente unisse cada vira-lata vadio
A vida dos cão de raça tava por um fio
Tiraram tudo que é o nosso, mas vacilaram
Porque eu tô disposto a dar minha vida e ela cês não levaram

Daria um filme
Eu sou um renegado
Oitavo anjo do apocalipse
Eu sou um renegado
Tenebroso, tenebroso
Eu sou um renegado
Olho o castelo e não foi você quem fez cusão
Vim da selva sou leão, sou demais pro seu quintal

fuente: musica.com disquito - musica.com

Compartir la letra 'Renegado'

Buscar canciones
X
Autoplay
Ver video
ir a arriba