FEIJÓO

O criador do termo “Tis-che-tein”,
Nom pujo nunca um pronome bem,
Ele fala mal igual, galego e castelám.

Com Gloria Lago fijo-se maior,
Usando o idioma para as eleiçons,
Arma política, sociolingüística.

Decreto vai, decreto vem,
Dialectos para el almacén,
Em espanhol, ou em inglês,
Pero em galego nom há rem.

Enquisa vai, enquisa vem,
Galego eu quero aprender,
Pois isso já na casa de cadaquem.

Ele vai com Marcial Dorado, num barco, amigo de um narco.
O neno da aldeia, com défice de formaçom.
Vai-te, que as tuas amizades nom som dos Peares,
Estám em Madrid, Feijóo.

Alberte converteu-se em narigom,
Contando trolas na televisom,
Como que lia a Rosalia.

Decreto vai, decreto vem,
Dialectos para el almacén,
Em espanhol, ou em inglês,
Pero em galego nom há rem.

Enquisa vai, enquisa vem,
Galego eu quero aprender,
Pois isso já na casa de cadaquem.

Ele vai com Marcial Dorado, num barco, amigo de um narco.
O neno da aldeia, com défice de formaçom.
Vai-te, que as tuas amizades nom som dos Peares,
Estám em Madrid, Feijóo. (Bis)

Estám em Madrid Feijóo.

Neve, neve, neve, neve, neve…

Ele vai com Marcial Dorado, num barco, amigo de um narco.
O neno da aldeia, com défice de formaçom.
Vai-te, que as tuas amizades nom som dos Peares,
Estám em Madrid, Feijóo.

Estám em Madrid Feijóo (Bis x2)
fuente: musica.com

Poetarras

Ficha de la Canción

Título:
FEIJÓO

Grupo/Cantante:
POETARRAS

Letra añadida por:
musicobarbanzam

Top Letras de Poetarras

1. Letra de Hasta la disglosia siempre
2. Letra de Lambeconas
3. Letra de Feijóo
4. Letra de Eu (non) son, pero...
5. Letra de Chove em Galiza
6. Letra de Xustiza pola mán
7. Letra de Lady Di
Ver todas las letras de Poetarras