Imagen de la canción 'Alzheimer'

Alzheimer

GGOSS

LETRA

Alinear a la izquierdaAlinear al centroLetra más grandeLetra más pequeña

Quem quer ser um milionário nesse call center
Nós, sem ter, temendo que o aluguel nos faça pender
Maquinas humanas, tão bender
Vejo ácaros que nem vês, ponho o colchão no sol e que eles queimem
Nos sonhos formol, e que eles durem
No buço mentol, pelas memórias post-mortem
Que o lado furtivo do tempo não deforme
Essas coisas que essas córneas captaram
Raptaram instantes, raptaram instantes

Maldito alzheimer na família me faz temer
Maldito alzheimer na família me faz temer
Maldito alzheimer na família me faz temer
Maldito alzheimer, num brasil que me põe...

Putrefata, vejo a cidade em cacos
Cedo eu trago o cigarro, junto a fumaça dos carros
Conto os trocados e pago esse transporte precário
Rumo ao sonho desejado. Tudo no centro é caro
À margem da vida e da cidade o fardo é leve e o clima pesado
Deus ta vivo ou Nietzsche foi sábio?
O olhar do povo no fundo apático
Sem crença ou benção, hoje tudo tá correndo tão rápido
Tão rápido, tão rápido, tão rápido, tão rápido
Repetitiva, a tv entrentem o gado, pronto pro abate no 'rito sabático'
De cima, tudo é tão claro, somos 'peixes' dentro de 'aquários'
'nova era' e um 'amanhecer', certeza apenas - fim inevitável
Sociedade em colapso. Os tempos bons apenas são lapsos
Nessa marcha fúnebre, segue pro abismo o homem sentado, sem tato

Quem quer ser um milionário nesse call center
Nós, sem ter, temendo que o aluguel nos faça pender
Maquinas humanas, tão bender
Vejo ácaros que nem vês, ponho o colchão no sol e que eles queimem
Nos sonhos formol, e que eles durem
No buço mentol, pelas memórias post-mortem
Que o lado furtivo do tempo não deforme
Essas coisas que essas córneas captaram
Raptaram instantes, raptaram instantes

fuente: musica.com disquito - musica.com

Compartir la letra 'Alzheimer'

Buscar canciones
X
ir a arriba