Imagen de la canción 'Casa de Detenção'

Casa de Detenção

Detentos do Rap

LETRA

Alinear a la izquierdaAlinear al centroLetra más grandeLetra más pequeñaVer video

Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom
Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom

Se infiltre na ideia, viaje no lema
Venha conhecer o verdadeiro sistema
São Paulo, Brasil, América do Sul
Complexo carcerário é o Carandiru
E, bem assim, não são nove, mas são sete pavilhões
Sucedidos de maldade, de muitas questões
No campo rola um fute
Lá em cima, correria
Os manos gladiando, 100% dia a dia
Andando para lá e muitos para cá
É um país, é um destaque, você pode acreditar
Não cola baby look nem cavada apertada
Aqui sujeito otário sobe o morro na paulada
Tipos espertos, malandros ligeiros
Do segundo ao quinto andar, eu me encontro no terceiro
Junto com a rapa, com os manos de atitude
Ladrão que tem o dom, sendo assim não se ilude
O mundo de calças beges, de loucos, paranoia, de bandido considerado
A liberdade é uma vitória
Primário reincidente, gente da gente
Lealdade, humildade ou linha de frente
Salve, salve, parceiros, manos ligeiros
Aqui fica quem é e DVD virou inteiro

Acreditamos muita em nós porque somos povo
E, por isso mesmo, acreditamos que o povo unido vencerá a elite

Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom
Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom

Detenção Carandiru, o filho chora e mãe não vê
Não dá pra ver, não dá pra crer, não dá
O silêncio é um dos pontos neste lugar
Submundo arriscado entre os pavilhões
O clima é sinistro entre os paredões
Fuzil AR-15, um gambé forgado
Estoura seus miolos, puxa-saco do Estado
Não jogue e atira
Não tente a fuga
Onde a corrupção, aceita na madruga
O tempo fecha, o dia é esquisito
Daqui a pouco, a blitz em toque, o perigo
Maior veneno, ó, é embaçado, ó
'Vai descasca, ladrão, cadê o pó?'
Aí, senhor, eu tô limpo na fita
Vim tirar minha cota, infelizmente, nadita
Não vim caçar assunto, muito menos me atrasar
Não vivo de ponto, eu sei bem onde chegar
Treta, pá e bola aqui é o que rola
Estação Carandiru conta um pouco da história
Do passado verdadeiros que vivemos no presente
Futuro vem chegando e continua como sempre
Enjaulado, humilhado, pra vocês um fracassado
A alta sociedade, a vergonha do Estado
Resulta em rebeliões, embaça cadeia, vira
Primário residente, uma par de homicida
Não dão as condições que os preso necessita
Os funça divulga que as noite são maldita
Quer ouvir mais, saber um pouco mais?
O rango aqui quem faz tá de mal com a paz
Eu abro o bandeco e que decepção: até a comida me vê como ladrão
Sem tempero, não tem cheiro, a mistura muito menos
Eu fazer meu corre pra não ficar no veneno
Eu peço atenção, com todo respeito, pra depois não falarem: castiga esse sujeito
Sujeito, tudo bem, mas não qualquer um
Um preso do Estado, cidadão comum
Eu reivindico, eu falo, não sou tão mau assim
Vou esperar as providências, mas eu sei que não tem fim

E, por isso mesmo, acreditamos que o povo unido vencerá a elite

Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom
Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom

Nas galerias, a massa penada
Na dez, várias facadas
Várias vidas jogadas por consequência da mancada
Por aqui o papo é reto, a maldade predomina
Presidiário ou detento, mas com auto-estima
Matar pra sobreviver aqui é natural
No bueiros, várias facas
Um vacilo é fatal
Moleque mimado, chora e mãe não vê
Deu uma de talarico, é aquilo, pode crer
Talvez no inferno ele sobrevivia
No Carandiru não passou de dois dias
Não respeito mulher no dia de visita
Na segunda cena, aí ladrão, virou homicida
Pescoço cortado, fato consumado
Por causa de um olhar, haha, virou finado
Em treta de ladrão, vagabundo não grita
Na língua da cadeia, vish, chamou polícia
Aqui dentro as lei foi feita pra se cumprir
Se foi fácil entrar, vai ser difícil sair
Nasci na escuridão, ganhei um presente das trevas
Condenado ao inferno, trinta ano de ponta
Esquecido pela mãe, odiado pela família
Estimado apenas pelos bandidos da ilha
Um homem de capa preta com a foice na mão
Criado pela maldade dos ladrão da detenção
Resgatados pelo rap, os manos não esquece
O som, casa cheia, vê se não esquece

Acreditamos muito em nós porque somos povo
E, por isso mesmo, acreditamos que o povo unido vencerá a elite

Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom
Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom
Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom
Casa de detenção
Detentos em cena
Só sangue bom

fuente: musica.com disquito - musica.com

Compartir la letra 'Casa de Detenção'

Buscar canciones
X
Autoplay
Ver video
ir a arriba